Milhões da Alrosa desaparecidos misteriosamente na Sociedade Mineira de Catoca


Cerca de 10 milhões de dólares americanos é o montante que de forma misteriosa, desapareceram das contas da mineradora russa Alrosa. Segundo o apurado por este portal, no passado mês de Fevereiro, a multinacional russa apresentou um pedido junto de um Tribunal de Nova Iorque, EUA, para despoletar um processo de formas a descobrir o destino dado ao referido montante.

De acordo com o apurado, a medida é ajudar o grupo russo a determinar como e onde quase US $ 10 milhões foram retirados das contas da sociedade mineira de Catoca, um enigma que tenta resolver desde abril de 2019.

Os russos estão a fazer diligências em vários bancos internacionais, com maior realce para o Bank of America, Barclays e Citibank. O objectivo é apreciar as transacções feitas por David Mishal, responsável pelas finanças de Catoca e Yuri Neumin, ex-Director executivo da sociedade mineira de Catoca que em 2018 decidiu por o seu cargo a a disposição dos accionistas.

A Sociedade Mineira de Catoca tem como accionistas a estatal Empresa Nacional de Prospecção, Exploração, Lapidação & Comercialização de Diamantes de Angola (Endiama) e o grupo russso Alrosa, com participações iguais de 41%, estando os restantes 18% nas mãos da Lev Leviev International Holding B.V.

Com sede no município de Saurimo, província da Lunda Sul, a empresa é o quarto maior produtor mundial de diamantes e líder angolano com uma quota de 86,3% em volume e 60,3% em valor monetário.