Maiores bancos angolanos contribuem menos na economia


O rácio de transformação agregado dos cinco maiores bancos do sistema (SBA) fixou-se em quase 24%, no exercício económico de 2019, o que representou uma diminuição de, pelo menos, 15 pontos percentuais (P.P), face ao período homólogo, calculou o jornal Mercado com base nos dados extraídos da informação financeira daquelas instituições.

De acordo com a fonte, a queda do rácio de transformação deveu-se ao crescimento acentuado no volume dos depósitos nos cinco maiores bancos (BAI, BPC, BFA, BIC e BMA), quando comparado com o incremento da carteira de crédito dos também chamados ‘Big Five’ no ano passado.

Contribuiu igualmente para o recuo da taxa do rácio em causa, explica Rafael Simões (contabilista), o maior escrutínio na avaliação dos projectos de investimento apresentados às instituições de crédito que, em função do índice do crédito malparado, tendem a ser mais rigorosos. Aliás, “o momento económico e financeiro exige cautelas”, disse o especialista.

A contracção desse indicador, no ano passado, ilustra que os ‘Big Five’ concederam menos crédito em relação ao exercício económico de 2018. “O dinheiro dos depósitos é superior ao crédito, um sinal de que há liquidez a mais no sistema bancário”.