Jaque Raúl é o novo comandante do Exército


O oficial general Jaque Raúl, é o novo comandante do Exército, em substituição do general Gouveia João de Sá Miranda.

Em nota de imprensa, a Casa Civil do Presidente da República sublinha que as movimentações ocorreram depois de João Lourenço ter ouvido o Conselho de Segurança Nacional, órgão de consulta do Comandante em Chefe das FAA  para os assuntos relativos à condução da política e estratégia de segurança do país.

Estado actual das FAA

Informações recentemente avançadas, apontam  o estado actual das Forças Armadas como  “muito delicado” e constitui uma das principais preocupações do Presidente João Lourenço.

Segundo a Newsletter África Monitor, a degradação das condições de vida dos militares é associada a antigos problemas de incompetência, desorganização e venalidade (corrupção) no funcionamento interno das FAA, em especial nos sectores da Administração e Logística – agora exacerbados por “factores adicionais”, nomeadamente a contenção orçamental imposta pela crise económico-financeira declarada em 2014 e a “passividade” do CEMGFA, António Egídio dos Santos  “Disciplina”.

O descontentamento interno em relação ao General “Disciplina” é especialmente alimentado por informações que circulam entre os militares acerca de condições consideradas “críticas” em que subsistem as unidades. Também representam focos de descontentamento nomeações a que o CEMGFA procede/ manda proceder, atribuídas a tendências de “amiguismo”, ou a proliferação de rumores no sentido de que a corrupção continua a ser impunemente praticada nos mais elevados escalões das FAA.

A fraca preparação militar do CEMGFA (a sua nomeação interrompeu uma linha de provimento do cargo por oficiais qualificados), acrescida de inclinações que lhe são atribuídas, entre as quais a “marginalização” a que vota os oficiais oriundos da UNITA e os mestiços, fez com que a sua nomeação, em 2017, fosse por si própria geradora de sentimentos de mal-estar interno.

O afastamento do General “Disciplina” do cargo de CEMGFA, tem vindo a ganhar consistência. Entre os mais prováveis substitutos de “Disciplina” são apontados o seu Adjunto, General Abréu Kamorteiro, o General Sá Miranda e ainda o General Altino José dos Santos, actual Comandante da Força Aérea.