Horácio Mosquito defende auditoria às contas da FAF


O Presidente do Recreativo da Caála Horácio Mosquito defendeu em Luanda uma auditoria às conta da Federação Angolana de Futebol (FAF) tendo em conta as verbas que a FIFA tem dado para o desenvolvimento da modalidade no país.

“Eu Acho que devia ser feito uma auditoria sobre o dinheiro que entra na FAF e ser clara para toda a gente. Há falta de clareza a nível geral”, atirou Horácio Mosquito.

Em entrevista ao site Sapo Desporto, Mosquito não quer ‘mostra-se atento e quer saber o destino dos 500 mil dólares norte-americanos que serão transferidos para a conta do organismo angolano (cerca de 280 milhões de kwanzas).

“Espero que o dinheiro da FIFA não sirva para pagar as Associações Provinciais, estar a rondar por aí e convencer pessoas para serem ‘molhadas’ para votarem em certas listas”, alertou.

Porém o responsável do Recreativo da Caála avançou que os clubes precisam beneficiar-se da referida verba que a FAF vai receber para o desenvolvimento do futebol no país.

A Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA) anunciou sexta-feira que vai distribuir cerca de 150 milhões de euros pelas 211 federações nacionais, a fim de ajudar com as perdas sofridas devido à pandemia da Covid-19.

O financiamento relativo a 2019 e 2020 é o primeiro passo de um plano de alívio para apoiar, nos próximos dias, a comunidade do futebol, cabendo concretamente a cada filiado o valor de 500 mil euros.