Grupo BAI doou 17 milhões de euros para combater a Covid-19 em Angola


Mais de 15 milhões de euros permitiram a aquisição de 100 ventiladores para insuficiência respiratória e 300 unidades de ventiladores BPAP, de testes de diagnóstico rápido e de equipamentos de proteção individual.

As empresas do Grupo BAI, nomeadamente o Banco Angolano de Investimento (BAI), a Nossa Seguros e o Banco BAI Microfinanças, doaram 16 milhões de euros ao Estado angolano para combater a Covid-19 em Angola, revela o grupo BAI em comunicado esta quarta-feira, 22 de abril. 

Por sua vez, a filial portuguesa e o BAI Europa, contribuíram com cinco mil testes diagnóstico, que foram entregues ao Ministério da Saúde.

Mais de 15 milhões do montante global doado permitiram já a aquisição de 100 ventiladores para insuficiência respiratória e 300 unidades de ventiladores BPAP, de testes de diagnóstico rápido e de equipamentos de proteção individual, como máscaras descartáveis, aventais de punho elástico, fatos de proteção com capuz, protetores para sapatos, máscaras faciais FFP2, toucas de cabelo, óculos de proteção e luvas. Todos estes materiais deverão estar disponíveis nos próximos 20 dias.

O grupo BAI vai realizar também a manutenção das infraestruturas hospitalares de apoio à prevenção ou tratamento da Covid-19 em Luanda, Saurimo, Ndalatando e Menongue, num valor estimado de mais de 400 mil euros.

O presidente da Comissão Executiva do BAI, Luís Lélis, diz estar “ciente do esforço que está a ser exigido no combate a esta epidemia e, como tal, não podíamos ficar de fora desta enorme batalha que está a ser travada pelos angolanos”.

JE