Ex trabalhadores da ENDIAMA ameaçam paralizar minas


Ex trabalhadores da companhia angolana de diamantes ENDIAMA dizem que vão manifestar-se a partir de Sexta-feira e ameaçam mesmo “encerrar” minas caso não sejam atendidas as suas reclamações de salários e outros benefícios em atraso.

A ENDIAMA diz que tudo isso já foi resolvido não devendo nada aos trabalhadores havendo apenas alguns casos de atrasos com a segurança social e por falta de documentos e contas bancárias

Os antigos trabalhadores dizem que não foram pagos os salários em atraso, não foram indemnizados e não se cumpriu com o processo de reforma. Os ex trabalhadores decidiram manifestar-se nesta Sexta--Feira dia 20 diante da sede da empresa em Luanda, no Lukapa e no Nzagi na Lunda-Norte e dizem que vão encerrar todas as minas da Endiama em actividade.

"A partir de Sexta-Feira dia 20, as 7 horas vamos manifestar-se diante da sede da Endiama, viúvas, orfaos e ex trabalhadores”, disse Monteiro Muanza.

“Depois faremos uma tregua Sábado e Domingo, retomamos na próxima Segunda-Feira, vamos reivindicar os salários em atraso, indemnizações e reformas", acrescentou.

Desta vez a manifestação vai-se estender às sedes da empresa no Lukapa e Nzage na Lunda-Norte e os ex trabalhadores prometem paralisar todas as minas ligadas a Endiama como disse Baptista Tunganeno.

"Os ditos donos da Endiama ainda dizem que não nos conhecem, absurdo nós que demos
o litro à empresa hoje dizem não nos conhecer, absurdo, então achamos por bem encerrar na Sexta-Feira toas as minas da Endiama aqui no Lukapa pertencentes à Endiama”, disse.

“Vamos encerrar as minas em actividade incluindo a clínica até que eles resolvam o nosso problema", acrescentou. A VOA falou com a responsável do Departamento de Contencioso da ENDIAMA Marta Quimbundo que garante que a ENDIAMA já honrou todos os compromissos que tinha para com ex trabalhadores.

"A ENDIAMA já não tem mais nada a dever a estes antigos trabalhadores”, disse.

“A única questão que resta é relativamente ao INSS”, acrescentou afirmando que a companhia tem os comprovativos dos pagamentos feito. “Faltam alguns processos porque os trabalhadores não têm os documentos outros estão caducados, faltam contas-bancarias” acrescentou Mara Quimbundo que sublinhou que “a ENDIAMA nunca fechou a porta ao diálogo nunca agiu de ma fé, tratou sempre os trabalhadores.

VOA 

dores