Ex-PM da Costa do Marfim condenado a 20 anos de prisão por corrupção


O antigo primeiro-ministro marfinense, Guillaume Soro, foi condenado nesta terça-feira por um tribunal de Abidjan, a 20 anos de cadeia por corrupção. Um julgamento à revelia porque o antigo primeiro ministro e presidente da Assembleia nacional, da Costa do Marfim, reside em França. 

Condenado por um Tribunal de Abdijan a 20 anos de prisão por corrrupção, o antigo chefe da rebelião ex-primeiro ministro da Costa do Marfim, Guillaume Soro, no exílio desde dezembro, nomeadamente, em França, vê o seu horizonte político ficar mais escuro.

A 7 meses das eleições presidenciais parece complicado para Guillaume Soro, pensar que poderá ser candidato como é o seu desejo.

Guillaume Soro, de 47 anos, foi condenado por crime de peculado e desvio de dinheiro público e branqueamento de capitais por ocasião da aquisição da sua residência em Abidjan, em 2007, quando era primeiro ministro de um governo de união nacional.

Condenado, mas insiste que é candidato às presidenciais

Soro, foi condenado à revelia, pois, na ausência do julgamento, que durou 3 horas e boicotado pelos seus advogados, a uma pena de 20 anos de cadeia, uma multa de 6,8 milhões de euros, pagamento de 3 milhões de euros por pejuízos ao Estado marfinense, confiscação do edifício residencial e perda de direitos cívicos.

Perante a caducidade dos mandados de captura de fevereiro, o Tribunal lançou um novo mandado de captura de Soro, que reside em França.

Neste cenário o ex-primeiro ministro não poderá ser candidato às presidencias de outubro, a não ser que ganhe causa junto da justiça após recurso. 

Guillaume Soro, continua a dizer ser candidato às presidenciais e que ganhará, segundo reagiu nas redes sociais, após a sua condenação.

RFI