Emirates suspende temporariamente voos de passageiros


A Emirates, maior companhia aérea do mundo, anunciou que vai suspender de modo temporário todos os voos de passageiros, a partir de hoje, 25 de Março de 2020.

Segundo um comunicado que que tivemos acesso, a que companhia justifica a medida devido a uma desaceleração no fluxo de passageiros no principal eixo de actuação do grupo, o Aeroporto Internacional do Dubai, por conta do surto de COVID-19.

De acordo com a Emirates, os voos de carga, incluindo o transporte de bens essenciais e de medicamentos por todo mundo vão continuar. Na nota a companhia faz saber também que vai reduzir os salários dos funcionários para evitar despedimentos.

O Presidente do Grupo Emirates,   Ahmed bin Saeed Al Maktoum, fez saber que “o mundo entrou literalmente em quarentena devido ao surto de COVID-19. Esta é uma situação de crise sem precedentes em termos de amplitude e escala: do ponto de vista geográfico, de saúde ´publica, social e económico. Até Janeiro de 2020, o Grupo Emirates estava a seguir bem em relação às suas metas, mas o COVID-19 obrigou a uma paragem repentina e dolorosa dos serviços nas últimas semanas”.

“Como companhia aérea de escala mundial,encontramo-nos numa situação em que não podemos operar serviços de passageiros até que alguns países reabram as suas fronteiras e a confiança volte a reinar entre os passageiros. Vamos continuar a operar os voos de carga e acompanhar a situação de perto, assim que as coisas permitam restabeleceremos os nossos serviços de transporte de passageiros”.

Com muitos clientes e companhias aéreas a reduzirem drasticamente os voos ou até mesmo a encerrarem completamente os serviços, a Dnata também reduziu significativamente as suas operações de transporte de carga, e encerrou temporariamente alguns escritórios na vasta rede internacional.

A Emirates fez saber que recebeu solicitações de vários governos para apoiar no repatriamento de passageiros. Neste sentido, vai continuar a operar voos de passageiros e de carga, enquanto as fronteiras permanecerem abertas e houver demanda, para os seguintes países e territórios até novo aviso: o Reino Unido, Suíça, Hong Kong, Tailândia, Malásia, Filipinas, Japão, Singapura, Coreia do Sul, Austrália, África do Sul, EUA e Canadá.