EUA investigam se coronavírus escapou de laboratório na China


O presidente Donald Trump confirmo em conferencia de imprensa nesta quarta-feira que os Estados Unidos estão a investigar a possibilidade de o novo coronavírus ter escapado por acidente de um laboratório da cidade de Wuhan, epicentro da doença.

De acordo com a agência de notícias Reuters, o vazamento do vírus do laboratório devido às supostas poucas práticas de segurança locais foi primeiro divulgada pela Fox News, citando fontes que tiveram acesso a documentos confidenciais.

Segundo as fontes daquela estação televisiva, o vírus não infectou o primeiro humano no mercado de Wuhan. Essa teria sido a forma de o governo chinês justificar o início da pandemia.

O “paciente zero” trabalharia no laboratório e o novo coronavírus estaria a ser pesquisado pelo governo chinês para demonstrar que o país também tem capacidade de lidar com epidemias, numa espécie de “batalha científica”.

“Nós estamos a fazer uma investigação muito minuciosa dessa terrível situação que aconteceu”, disse o presidente Donald Trump.

Na terça-feira, o comandante das forças armadas americanas general, Mark Milley, disse que a possibilidade existe, apesar de ser remota, já que tudo indica que o vírus tenha sido contraído naturalmente.

As fontes da Fox News informaram que a supressão de dados e a falta de transparência são 100% na China, o que agrava as suspeitas.

De acordo com o jornal The Washington Post, funcionários da embaixada americana já haviam alertado o governo americano em 2018 sobre possíveis falhas na segurança do laboratório de virologia de Wuhan, onde os chineses estariam a estudar tipos de coronavírus.

Questionado pela imprensa nesta quarta-feira se havia discutido o assunto com o presidente chinês Xi Jinping, Trump disse que não queria discutir a questão com o líder da China porque achava inapropriado.