EUA contribui com mais de USD 3 milhões no combate ao COVID-19


O Governo dos Estados contribuiu com mais de 3.5 milhões de dólares para apoiar a resposta do Governo de Angola ao surto da COVID-19. 

Segundo uma nota da Embaixada Americana acreditada em Angola, a Embaixadora dos EUA em Angola,  “com um investimento anual de mais de 30 milhões de dólares para apoio ao sector da saúde de Angola, o Governo dos EUA está comprometido com a saúde dos angolanos muito antes da COVID-19".

De acordo ainda com a nota, a contribuição inicial de USD 3 milhões do Centro de Controlo de Doenças será usada para apoiar o Governo de Angola na aquisição de suprimentos de laboratório e biossegurança, incluindo reagentes para testes, maximizar as actividades de vigilância da COVID-19, garantir a segurança dos profissionais de saúde de Angola, atenuar a propagação da COVID-19 nas instalações de saúde e reforçar as estruturas de operações de emergência.

Revela que o financiamento baseia-se nos investimentos globais de longa data do CDC para controlar o VIH, TB e malária, erradicar a pólio e preparar-se para a gripe e outras doenças pandémicas. Desde 2002, o CDC ajuda o Ministério da Saúde (MINSA) a  melhorar a segurança de saúde, o que lançou os alicerces para se preparar rápida e eficazmente para ameaças de doenças emergentes, incluindo a actual pandemia da COVID-19.  

Anuncia igualmente que a Agência dos EUA para o Desenvolvimento Internacional (USAID) disponibilizou 570.000 dólares para limitar as transmissões de pessoa-para-pessoa, prevenir e controlar as infecções nas principais instalações de saúde, comunicar informações sobre riscos críticos e ajudar a fornecer água e saneamento básico.

"A USAID também disponibiliza 500.000 dólares para ajudar a melhorar a aquisição de medicamentos e outros produtos de saúde como parte da resposta à COVID-19. Aproximadamente 380.000 dólares do programa da USAID de água, saneamento e higiene irão para medidas preventivas, melhorando o acesso à água nas comunidades em risco", conclui.