Covid-19: Há escassez de equipamentos de segurança para médicos e enfermeiros em Angola


Em Angola há escassez de equipamentos de segurança para médicos e enfermeiros que estão na linha da frente do combate à doença. Segundo a DW África, não é só nas farmácias que há falta de luvas e máscaras por causa da pandemia da Covid-19. Há também escassez de material de proteção individual nas unidades sanitárias do país.

Afonso Kileba, especialista em gestão hospitalar e membro do Sindicato dos Enfermeiros de Luanda, revelou a DW que "não existe qualquer medida de proteção nas unidades sanitárias" da capital. "Não temos máscaras, não temos luvas, não temos batas descartáveis para proteger os profissionais", relata.

Nas ruas de Luanda, sobretudo nas zonas periféricas, também se veem polícias e agentes das Forças Armadas Angolanas (FAA) sem máscaras nem luvas.

"Os agentes estão ali desprotegidos. Têm de interpelar cidadãos e não se sabe se estes cidadãos estão contaminados ou não", afirma o ativista cívico Inocêncio de Brito, que sublinha que, além de proteger a população, é preciso cuidar de quem está na linha da frente durante a pandemia. 

O país registou até agora 27 casos de Covid-19.