China favoravel a avaliaçao pela OMS da resposta mundial ao covid-19


O governo chinês afirmou, nesta sexta-feira, ser favorável à criação de uma comissão aprovada pela Organização mundial da Saúde, para avaliar a resposta mundial à crise sanitária provocada pela covid-19, mas somente  depois do fim da pandemia. A declaração das autoridades de Pequim, ocorre após várias semanas de pressão por parte dos Estados Unidos e de alguns dos seus aliados ocidentais, como a Austrália, que exigiam um inquérito internacional sobre a emergência do novo coronavírus na cidade chinesa de Wuhan.

Pequim recusou recentemente o inquérito internacional pedido por Washington e alguns dos seus  aliados,considerando uma tentativa de ingerência nos seus assuntos internos, mas aquiesceu no que toca à criação de uma comissão, sob a égide da OMS, destinada a avaliar a resposta à crise sanitária desencadeada pela  covida-19.

De acordo com a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, Hua Chunying, a avaliação deverá ser aberta,transparente e inclusiva,assim como coordenada pelo doutor Tedros Adhanon Ghebreyesus, director-geral da Organização Mundial da Saúde.

As autoridades chinesas preconizam que a avaliação, seja efectuada depois do fim da actual pandemia.

Hua Chunying sublinhou que, a criação da comissão deve ser préviamente aprovada pela assembleia mundial da saúde da OMS ou então pelo seu conselho executivo, os dois principais orgãos da agência da ONU, com sede em Genebra, na Suíça.

A porta-voz da diplomacia chinesa especificou que, não será um procedimento visando a China, mas sim uma avaliação, que dirá respeito ao conjunto dos países do mundo.

Os Estados Unidos e a Austrália tinham apelado à abertura de uma investigação internacional sobre as origens  da pandemia, na China. Este último país rejeitou a proposta de Washington e Canberra, qualificando a mesma de politização da crise sanitária que afecta o mundo.

Hua Chunying acrescentou que, a avaliação terá como objectivo efectuar um balanço da experiência e das lacunas da resposta internacional à epidemia, bem como emitir sugestões acerca dos meios para reforçar o trabalho da OMS. (RFI)