Casamento extravagante da filha do general "Dino" é destaque na imprensa internacional


O casamento durou os três dias do último fim-de-semana, de sexta-feira a Domingo, e as redes sociais encheram-se imediatamente dos habituais comentários sobre o brilho faustuoso da boda, mas a ida ao altar da filha do general Leopoldino do Nascimento "Dino", graças às dezenas de vídeos que começaram a surgir por todo o lado, depressa passou as fronteiras das redes sociais para encher páginas da imprensa nacional e internacional.

De acordo com o novo Jornal, com  títulos e aberturas a incidir nos milhões de dólares que terá custado a boda, nas massagistas asiáticas contratadas para revigorar os convidados mais desgastados pela festa, nas equipas contratadas no estrangeiro para filmar e fotografar todos os momentos da cerimónia, na grandiosidade do cenário, nos vídeos produzidos e projectados quase em simultâneo com a realidade e a três dimensões, o casamento de Denise do Nascimento e Danilo Pitra Neto, filho do ex-ministro dos governos de José Eduardo dos Santos, Pitra Neto não foi apenas o matrimónio do ano, foi o mais mediático de sempre em Angola.

 

Em algumas rádios nacionais, em dezenas de sites de notícias angolanos e nas páginas de jornais estrangeiros, e em milhares de comentários e entradas nas redes sociais, dos grupos de Whatsapp ao Facebook, passando pelo Instagram ou o You Tube, este casamento multimilionário voltou a colocar Angola nas bocas do mundo, de onde ainda não saiu, depois do caso Luanda Leaks que atingiu a empresária Isabel dos Santos.

A repercussão que os gastos faustosos nesta sumptuosa boda está a atingir deve-se em grande parte às dezenas de pequenos vídeos que furaram a malha do casamento e chegaram às redes sociais, o que permitiu, por exemplo, que, depois, alguns activistas tivessem produzido montagens onde mostram cenas de pobreza extrema nas ruas de Luanda em paralelo com os excessos de luxo que marcaram a boda de Denise e Danilo.

 

E os efeitos sucederam-se de forma vertiginosa a ponto de, por exemplo, o Correio das Manhã, editado em Lisboa, chamar para destaque que Manuel Vicente, ex-vice-Presidente, também esteve na "festa milionária do casamento da filha do general Dino".

 

O mesmo jornal sublinha que a "Cerimónia custou à volta de 5 milhões de euros e até teve massagistas para os convidados mais cansados".

 

Já o português Observador chama a atenção para o faustoso casamento com este título: "Massagistas asiáticas, Manuel Vicente e videomapping: os três dias do casamento de luxo da filha do general Dino"

 

"É possivelmente o casamento mais extravagante de que há memória em Luanda: a filha do general Dino, homem da confiança de José Eduardo dos Santos, teve massagistas, videomapping e Manuel Vicente", destaca o jornal online.

 

Para o Observador, este foi um "casamento de estadão, com autênticas figuras de Estado aquele que começou na sexta-feira e só acabou no domingo, em Luanda".

 

A revista Sábado, no seu online, diz que "a festa de casamento da filha do general angolano, Leopoldino do Nascimento "Dino", está a dar que falar em Luanda e nas redes sociais".

 

"Denise do Nascimento e Danilo Pitra Costa, filho do ex-ministro da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, casaram na passada sexta-feira, dia 14 de fevereiro (dia dos namorados) na capital de Angola. Na cerimónia religiosa, estiveram presentes várias figuras da elite angolana, entre elas o ex-vice-presidente, Manuel Vicente", nota a publicação lusa.

 

Que acrescenta: "A família do actual chefe de Estado, João Lourenço, também foi convidada, mas o Presidente declinou o convite, após as críticas que surgiram quando (o) Presidente angolano assistiu, no passado mês de Outubro, ao casamento da filha do líder da Assembleia Nacional de Angola, Fernando da Piedade Dias dos Santos "Nandó", que durou três dias, fechou a marginal de Luanda e terá custado cerca de dois milhões de dólares (1,8 milhões de euros)".

 

E, aproveitando a comparação com o anterior casamento mais badalado de Luanda, este jornal escreve que a "cerimónia da filha do general "Dino" terá superado o luxo do casamento de Outubro (da filha de Fernando da Piedade Dias dos Santos)".

 

"Na igreja foi montando um palco iluminado e envidraçado, da entrada até quase ao altar, onde foram espalhadas rosas brancas e camélias. No copo de água, realizado na ilha de Luanda, foram contratados centenas de técnicos de luz e som, fotógrafos e directores artísticos que montaram um enorme palco e coreografaram um espectáculo onde foram projectadas pela noite dentro imagens a três dimensões".

 

Mas este híper-luxuoso casamento provocou mal-estar também no seio do partido no poder, sendo disso exemplo o texto publicado via Whatsapp pelo sociólogo e deputado do MPLA, Paulo de Carvalho, republicado no Facebook por Fragata de Morais, duas conhecidas figuras com ligações ao partido que governa Angola desde 1975.

 

Nesse texto de Paulo de Carvalho é encimada a ideia de os "novos ricos" estão a tentar bater recordes de "exibicionismo casamenteiro"

 

Num texto longo, demonstrativo de que o sociólogo sentiu intensamente a questão social levantada pela ostentação que retrata, Paulo de Carvalho adianta, num dos parágrafos, que "este foi um casamento marcadamente luxuoso, caracterizado por uma `ostentação insultuosa" (...) característica do novo-riquismo, ou seja, o que importa é o verniz e não a essência. Por outras palavras, a unha exibe um verniz cinco estrelas, sem importar a sujidade por debaixo dela".

 

"Mas, ao contrário do primeiro, este casamento ficou também caracterizado por grande número de cadeiras vazias, demonstrando a todos que (mesmo na elite milionária) começa a haver quem já não alinha em manifestações exibicionistas deste calibre.", sublinha.

 

E acrescenta: "Porque ainda poderíamos tolerar o primeiro destes dois casamentos, que terá sido uma clara extensão do exibicionismo da era eduardista. Mas neste caso, quem compareceu sabia à partida que seria conotado com mais uma manifestação de desdém para com todos nós, que lutamos no dia-a-dia para conseguir colocar o pão na mesa e, simultaneamente, educar - convenientemente - os nossos filhos e sobrinhos".

 

Os vídeos do casamento, alguns com apenas segundos de duração, mostrando, por exemplo, os vários vestidos usados pela noiva ou uma massagista asiática a descongestionar os ombros de uma convidada enquanto esta beberica champanhe, publicados no Facebook e no You Tube têm, alguns deles, milhares de visualizações, o que atesta o interesse que está a gerar na sociedade angolana.