Angola e Namíbia celebram acordo para a construção da Barragem sobre o rio Cunene


Por: Temba Museta*

A Namíbia e Angola querem acelerar o projecto hidroeléctrico Baynes. Os Ministros da energia dos dois países assinaram recentemente um acordo que permitirá o lançamento de um concurso público para selecionar a empresa, que irá construir a futura barragem e sua usina hidrelétrica. Os dois governos planeiam começar a trabalhar em 2021 e encomendam as instalações em 2025.

"Se cumprirmos o calendário do acordo, seremos capazes de cumprir os prazos, pois há grande interesse neste projecto bi-nacional", disse João Baptista Borges, Ministro da Energia e da Águas de Angola.

Para atingir o seu objectivo comum, a Namíbia e Angola terão de investir 1,2 mil milhões de dólares. Uma barragem de rocha com revestimento de betão.  

O projeto hidrelétrico de Baynes é estratégico para ambos os países. Do lado namibiano, o governo pretende reduzir a dependência do país em relação às importações de electricidade, especialmente da África do Sul.
 
Esta electricidade tornou-se mais cara desde o início da crise que a empresa estatal Sul-Africana Eskom enfrenta. 

Em Angola, o Governo quer diversificar a sua mistura de electricidade, que é largamente dominada pelos combustíveis fósseis, incluindo o petróleo.

A barragem de Baynes será construída sobre o rio Cunene, que serve como uma fronteira natural entre os dois países. O reservatório situar-se-á a 200 km a jusante da Central Hidroeléctrica de  Ruacana na Namíbia, com uma capacidade de 330 MW. 

Baynes é uma barragem de rocha com revestimento de concreto, com uma altura de 200m. O seu reservatório terá 43 km de comprimento, com uma largura máxima de 4 km.  A área inundada pelo reservatório seria de 57 km2 e conteria mais de 2.650 milhões de m3 de água.  

A barragem de Baynes funcionará com uma usina hidrelétrica com uma capacidade de 600 MW. A electricidade será repartida igualmente entre a Namíbia e Angola (300 MW por país). 

De acordo com NamPower, a empresa estatal que distribui electricidade  na Namíbia, durante a estação chuvosa, a Central de Baynes funcionará em plena capacidade, enquanto durante a estação seca, os geradores funcionarão apenas em plena capacidade durante períodos médios e de pico, enquanto 71 MW serão produzidos durante períodos fora de pico, a exemplo da barragem de Ruacana.

Em Windhoek