Angola beneficia de material sanitário


Duas toneladas de equipamento sanitário e de biossegurança chegaram esta sexta-feira a Angola para reforçar a prevenção e conter a expansão do novo coronavírus (covid-19) no país, numa acção solidária da fundação chinesa Jack Ma. 

Entre vários materiais doados, destacam-se 10 ventiladores, três mil e 700 fatos de biossegurança, três mil e 800 protectores faciais, 10 mil e 23 máscaras N95 para técnicos de saúde, nove mil e 500 luvas médicas, 36 termómetros laser digitais, 18 mil e 912 kits de extracção, bem como 18 mil e 900 zaragatoas para colheita de amostras.

Trata-se da segunda doação de material sanitário do empresário chinês Jack Ma, destinada para todos os países africanos, sendo que na primeira fase (26 de Março último) Angola recebeu 20 mil testes de diagnóstico laboratorial, 100 mil máscaras médicas, mil roupas de protecção e escudos, entre outros meios.

Além dessas doações, o Governo Angolano vai continuar a adquirir vários equipamentos médicos para a concretização do Plano de Contingência à covid-19, segundo o secretário de Estado para Saúde Pública, Franco Mufinda, que falava à imprensa a Angop, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, após o acto de recepção do material doado.

O dirigente avançou que o país vai receber, na próxima semana, 350 ventiladores, 100 mil fatos de protecção individual dos profissionais de saúde, nove milhões de máscaras, cinco milhões de comprimidos de cloroquina e igual número de azitromecina, que o Governo comprou na China.

Actualmente, Angola possui pelo menos 190 ventiladores, numa necessidade de 600 previstos, de acordo com Franco Mufinda.