Angola ainda deve mais de 600 milhões de dólares ao BNDES


A República deAngola foi o país que mais recebeu recursos financeiros do Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social do Brasil.

Segundo apurou este Portal, Entre 1998 e 2016, o BNDES concedeu US$ 3,946 bilhões em empréstimos para Angola contratar construtoras brasileiras, com destaque para a Odebrecht. Até junho de 2019, foram desembolsados US$ 3,273 bilhões nestas operações.

Até meados do ano passado, Luanda ainda devia US$ 639 milhões e não tinha nenhuma parcela da dívida em atraso.

Estudiosos das relações entre Brasil e Angola, o pesquisador Mathias de Alencastro, são de opinião que a ascensão económica de Angola após o fim da guerra civil, em 2002, e a presença histórica da Odebrecht no país como principais responsáveis por tamanha concentração.

O “Livro Verde”, que procura passar a limpo as operações do BNDES, lançado em 2017, informa que, desde 2007, foram aprovadas 91 operações de financiamento a exportações realizadas por 11 empresas brasileiras para fornecimento de bens e serviços a Angola.

Estão mapeados 31 projectos de investimento em infraestrutura no país.

Uma reportagem do Jornal O Estado de São Paulo, revelou muito recentemente que o fim da guerra civil travada desde 1975 entre a UNITA e o MPLA, coincidiu com o período de crescimento da economia global que produziu o “boom” no preço das commodities. Ao mesmo tempo em que precisava reconstruir a infraestrutura após 30 anos de conflito, Angola, com a estatal Sonangol, se tornou um dos principais produtores de petróleo na África subsaariana, ao lado da Nigéria.