Angola/RDC: Protecção dos 700 quilómetros de fronteira comum preocupa governo


O Ministro angolano do Interior mostrou-se preocupado com a protecção dos 700 quilómetros de fronteira comum entre Angola e a RDC, uma extensão que, reconheceu, cria constrangimentos nas acções de patrulhamento.  

Apesar disso, Eugenio Laborinho que eseve a trabalhar  na provincia da Lunda Norte, disse ser necessário e urgente redobrar os esforços de modo a garantir a inviolabilidade das fronteiras, tendo como foco os caminhos “fiotes”, que muitos utilizam para atingirem o território nacional. 

Laborinho sublinhou que, numa altura em que aumentam os casos de Covid-19 na RDC, muitos cidadãos congoleses vão procurar refúgio no país, colocando em risco a vida dos angolanos. “Por isso, é necessário a vigilância de todos para evitar que isso aconteça”, frisou.

A Republica Democrática do Congo regista ate ao presente momento 267 casos, dos quais, 22 perderam a vida.