1ª Dama evacuada para Paris


Enquanto ajudava na questão premente da dívida de Angola, Ana Dias Lourenço está acometida por uma doença não revelada e foi considerada doente o suficiente para justificar a preocupação dos Estados Unidos e da França, que mergulharam em evacuá-la para um centro médico no exterior.

Segundo o África Ingelligence, a primeira-dama de Angola, que viveu nos Estados Unidos por quatro anos na qualidade de Directora Executiva do Banco Mundial e ainda tem um apartamento em Maryland, acredita-se que queria ter sido tratada nos Estados Unidos.

De acordo ainda com a fonte, o marido, o presidente João Lourenço, recebe exames regulares de uma clínica em Orlando, Flórida. Mas com as fronteiras dos EUA fechadas como uma medida para conter a disseminação do coronavírus, a sua evacuação teria sido um pesadelo logístico.

Paris e Washington concordaram em levá-la para a França. Ana Dias Lourenço viajou de Luanda para Paris acompanhada por dois médicos americanos e está sendo tratada no Hospital Americano de Paris. A terceira filha do casal presidencial, Ana Isabel Dias Lourenço, também conhecida como "Baby", que estuda no Reino Unido, estava em quarentena quando retornou a Luanda em Março.

A família presidencial está a tentar organizar -se para estar ao lado de Ana Dias Lourenço, mas as restrições de viagem estão a dificultar isso. Das três filhas do casal, duas - Cristina Giovanna Dias Lourenço e Ana Isabel Dias Lourenço - estão em Luanda no momento.

A terceira vive em Maryland, onde recentemente deu à luz. Ela é casada com o filho de Norberto Santos “Kwata Kanawa", actual Governador de Malanje.